domingo, 1 de agosto de 2010

Eu nunca fui a queridinha do papai.
Ele sempre me dizia: volte cedo.
Sedenta de vontade de me atirar na noite, em plenos 14, ansiosa demais logo respondia:
Mas é claro, pai!
E quando eu por ventura me lembrava, ali pelas seis eu levava ate um pão!

Nunca fui uma menina prendada, como a família sempre quer,
Mas também nem tão inútil, ainda posso servir de mau exemplo,
E ainda assim eu sempre me encontrei na minha bagunça organizada.

Nunca fui o que meu pai esperava,
Afinal eu nunca dei uma brecha se quer de possível casório.
Eu sempre apresentei para ele os bons rapazes,
Mas era com os ‘maus’ meninos que eu dormia,
Intitulados pelo meu pai como safados, aventureiros demais, vagabundos e drogados.
Ma eu sempre gostei mais dos meninos maus, afinal, nada de compromissos,
Com as asas, pra tristeza do pai, sempre batendo.
Aqui, nada de casório.

Eu definitivamente nunca fui o que meu pai esperava de mim!
Por exemplo, certa vez, quando passávamos na rua, meu pai disse:
Nossa, que mulher bonita.
No mais, fim de semana seguinte, eu invadiria a volúpia dessa mulher!
SIM, SIM, SIM PAI! Eu a beijei.!
E quando meu pai descobriu que eu também gosto de meninas??
Não, não! Definitivamente, eu nunca se quer cheguei perto de ser o que meu pai queria,
Mas nunca deixei de fazer o que eu queria.

Meu pai dizia: assista ao noticiário!
Mas eu mudava de canal, e colocava no que estava passando um clip
de uma banda de rock, que eu adoro.
Desaprovação assídua do papai.
Eu nunca tive muitos limites,
No Máximo, o céu.

Eu nunca fui certa para o meu pai e nem ele pra mim.
O que mais salientava a minha revolta de adolescente,
Era ele querer mandar na minha vida,
Quando ele nem era capaz de estender a toalha molhada, deixando-a sobre a cama ou colocar a cueca no sexto de roupas, ou colocar o prato na pia.

Eu nuca tirei 10 ou 9, mas orgulhosa nunca repeti de ano.
Eu nunca realmente fui NADA do que o meu pai gostaria,
Porém nunca passei vontade, sempre que eu queria inalei a minha fumaça.
Nunca me arrependi por algo que não fiz ou que fiz.
E hoje em dia, as minhas noites mais alucinadas, são experiências que me servem de lição.
Sempre gostei de extremos, e sempre quebrando as regras da casa, foi que aprendi.
Eu sempre gostei dos extremos
E é assim que ainda vai ser,
Por que em nenhum momento deixei de ser eu.

Andrea Kirkovits


* " nem sempre faço o que é melhor pra mim, mas nunca faço o que eu não to afim de fazer! "

4 comentários:

  1. menina da mente fertil dentro de uma bolha que flutua por ai by thiago bjos

    ResponderExcluir
  2. uahsuashashashah obrigafa pelo mente fertil! *O*

    ResponderExcluir
  3. Adoro... nunca podemos deixar de ser nós mesmos... Porcausa de ninguém, nem dos nossos pais. Eles apenas tem mais experiencia, por ter vivido mais tempo, só q não necessariamente estão certos. ;).

    Kisses Baby.

    ResponderExcluir
  4. aaaah, nem sempre faço o que é melhor pra mim, mas nunca faço o que não to afim de fazer... :D

    ResponderExcluir