segunda-feira, 28 de março de 2011

Sem Estação!

Essas esferas de momentaneas de frenesi,
que dominam a mente,
elas servem de armadilha, uma armadilha de mim mesma, em mim mesma!
Como pode!? Será que pode?
É mesmo possivel?
NÃO! Somente hoje...
Não posso mais admirar as fotos suas, fotos não passam de fotos!
O que me importam, se não me revelam sua real expressão, a do momento!?
Eu não poderei afirmar muito mais, esse firmamento me foge, s
em saber seu movimento!
Eu nem sei de dormi, mas acordei com teu cheiro em mim,
cheiro de verão, outono, primavera, inverno!
Como se em mim, por quase nada,
um triz da sua existencia,
me basta para despertar todas as estações!
Mas não, hoje não...
Deixe-me viver no inverno!
Quero a nevada mais cortante em meu peito, só por hoje...
Mas não sei quanto tempo pode durar este Hoje!
Hoje... Hoje... Hoje.....
E o Aqui?
Existe aqui, esxiste agora?
Existe o sentir...
Que petrificou-se em inverno,
Que perde-se em ausencia, em saudade...
Que já nem sei mais qual é teu cheiro;
nem a qual estação pertences!
E não existem Sábios para me explicar...
Eu não sou explicavel, por isso não posso lhe confirmar!
Antes de mais qualquer coisa, ou mais nada, vou me ausentar!
Pois não sei mais em qual lábio me perdi!
Não sei o nome da cor do batom que beijei!
Na verdade, sinto falta de mim!

Andrea Kirkovits!

2 comentários:

  1. Realmente darling, vc ainda vai me matar com seus poemas..! rs

    #deusesalados

    ResponderExcluir
  2. SHAUHSAUSUAHSUHU um dia, juro que eu paro.

    ResponderExcluir